terça-feira, 20 de abril de 2010

O INPE precisa reaparelhar-se!


Um país do tamanho do Brasil não tem nenhum satélite meteorológico ... absurdo!

"SÃO PAULO -Sistema do Inpe vai ajudar a evitar tragédias em enchentes e deslizamentos de terra.


A tragédia ocorrida no início do ano em Angra dos Reis (RJ), que fez 53 vítimas fatais, poderia ter sido evitada se os técnicos da Defesa Civil do estado do Rio de Janeiro tivessem à disposição o Sistema de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Sismaden), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe)
..."

Fonte: Info (ler matéria/entrevista na íntegra)

Essa tragédia expôs muitas deficiências, a grande maioria é do próprio Estado/Cidade do Rio de Janeiro, mas a mesma acabou levantando a questão: Cadê nosso satélite? Resposta: Nós não temos!

Aqui em São Paulo, em Santa Catarina e lá na Bahia, também ouve enchentes, e a pergunta que fica: Cadê as estações meteorológicas? Cadê os radares? Resposta: Temos poucos!


A explosão do VLS em 2003 jogou o INPE numa encruzilhada. Sem a própria tecnologia de rastreamento, tivemos que ficar usando satélites secundários dos EUA, quando disponíveis. Imagens vem apenas poucas em intervalo de horas. Se fosse um país pequeno, não seria um problema ruim, mas um país continental que nem o nosso, é um crime.


Taí a resposta de quem fala "O Brasil não precisa de foguetes", "Foguetes, para quê? Se tem tanta gente passando fome" ou o pior de todos "O Brasil vai passar a ser perseguido se tiver foguetes, por causa das armas atômicas"


Precisamos sim, precisamos ter essa tecnologia, para colocar nossa própria frota de satélites coletor de dados no céu, para nos proteger. Precisamos sim, de hiper-computadores e muito software e computação para ter uma realidade melhor de nosso clima. Isso não é gasto, é investimento. É vai poupar a vida de muitos.


E não basta apenas satélites. Temos que ter mais radares. Que dane-se os EUA e suas restrições, no caos aéreo e agora com essa tragédia ficou provado que temos poucos radares (seja de monitoramento do espaço aéreo, seja de meteorologia ... já que radares de trânsito, nós já temos demais :P ). Tem que ter mais de 300 estações coletoras espalhadas pelo Brasil.


E a defesa civil? Aqui em São Paulo ela é mais ou menos, no resto do país, ela é precária. E antigamente não era. Por exemplo, meu avô que era professor e farmacêutico foi monitor da defesa civil, a Sudene nos anos 60 forneceu equipamentos pluviométricos, e ele mandava religiosamente os dados todos os dias. Hoje, lá na Bahia por exemplo, praticamente não existe mais isso. E não é muito diferente daqui de São Paulo e Rio.


Viu só, o que não ter um simples foguete pode causar? Não serve só para meteorologia não, também para o setor de comunicações, que também somos precários. Já passou da hora ... tá na hora de cobrar nessas eleições dos candidatos o compromisso que o projeto será mantido e será colocado mais dinheiro nele.


O clima está mudando, e senão tivemos um centro de processamento de informações sobre o mesmo, mais tragédias vão ocorrer. Se o Brasil quer ser alguma coisa, não tem jeito. Tem que investir em tecnologia espacial. :P

0 comentários:

Postar um comentário

Politica de comentários:

O Casper Vox modera todos os comentários enviados, e reserva-se no direito de remover qualquer comentário que:

- Contiver spams;
- Que forem duplicados ou floods;
- Que não for relacionado com o assunto do post ou do blog;
- Com ofensas e palavras de baixo calão;
- Que apenas tiver pedidos ou links

Voce poderá postar seu comentário como Anônimo, mas recomendamos e incentivamos a vc usar usar sua conta do Google ou sua OpenID.

Seu email e seus dados serão mantido em sigilo. Leia nosso Termo de uso e a nossa Politica de privacidade para mais detalhes!

Nota: As opiniões deixadas pelos visitantes não refletem a opinião do Vox.