sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Ao comprar a CCE, a lenovo entrou de vez no mercado brasileiro ...

CCE
A marca tão conhecida por ser chacota, agora pertence aos chineses ...

" São Paulo — A Lenovo, segunda maior fabricante de PCs no mundo e uma das que mais crescem, deve anunciar a compra da brasileira CCE nesta quarta-feira, como o jornalista Tiago Lethbridge, da revista EXAME, revelou com exclusividade no blog Primeiro Lugar On-Line. As duas empresas vinham negociando desde o fim do ano passado. O anúncio será feito pelo presidente global da Lenovo, Yang Yuanquing. (...) "   

Fonte: Info (ler matéria na íntegra)

Sim, a notícia é velha, mas na semana passada não deu para comentar (por causa do Chaos MenuGames), mas esta notícia não dá para passar em branco. A lenovo, dona da antiga divisão de PCs da IBM e uma das maiores fabricantes de computadores do mundo, finalmente entra de vez no mercado brasileiro. São boas notícias, afinal, quanto mais concorrência, melhor.

Primeiro, a CCE é uma marca (marca, por que se vocês não sabem, o nome real da empresa é Digibrás) é antiga é velha conhecida dos brasileiros, apesar de ela ser um pouco infame, sua sigla por gerações, foi e continua sendo motivo de piada  (a primeira que ouvi é "Continue Comprando Errado", mas tem outras também, como "Conserta,Conserta e Estraga") por alguns de seus produtos gostavam bastante de uma assistência técnica. :D

Muitos podem pensar, bom, então por que a lenovo comprou uma marca que é considerada por muitos tão infame e tão banal? Simples, não só pelo preço (700 milhões é uma pechincha) que foi pago mas por que com certeza a lenovo vai pelo menos, em seu marketing reforçar a ideia que vai melhorar a qualidade dos produtos CCE.

Mas de fato, o que a empresa chinesa quer é ter uma base solida aqui para montar seus equipamentos eletrônico, principalmente PCs e notebooks (e futuramente tablets e smartphones). 

Nada vai mudar na CCE, que vai continuar sendo uma montadora, ou seja, trás as placas e todas a peças da China e monta aqui numa carcaça diferente (ou não).

Agora, espero que a lenovo mantenha as fábricas em São Paulo e Manaus, pois seria duro ver vários amigos desempregados. :\

CCE é velha de casa 

Se tem uma marca que posso dizer que conheço bem, esta é a CCE. Minha mãe trabalhou mais de 15 anos na Digibrás (ela trabalhava numa empresa chamada Motoplay [até pouco tempo tínhamos um toca fitas de carro desta marca], que foi comprada pela Digibras na década de 1970) e muito, muito dos produtos que tínhamos em casa era da CCE. Aparelhos de som, TV, toca fitas, rádio relógio e etc. Como ela era funcionária, nós tínhamos acesso a descontos especiais. :D

A muito tempo, no começo da década de 1990 a Digibrás tinha uma pequena fatia da TecToy, e foi assim que ela conseguiu com este "cupom de descontão especial" comprar meu primeiro video game em 1990, o Master System. 

Minha mãe saiu da Digibrás em 1989 (senão me engano), deixou a área de metalurgia (era soldadora) para seguir seu sonho e vocação, mas o "cupom" de descontos valeu até 1995 e foi usado pela ultima vez neste ano em uma TV que ganhei de presente. Esta TV durou 15 anos e só morreu em 2010. 

Hoje não temos mais nada da CCE, trocamos tudo, mas enquanto esteve conosco, dificilmente dava problemas, o mais problemático e o primeiro a ir para o lixo foi o aparelho de som. Muita coisa continuou até meados do ano 2000 e foram passados para frente por que simplesmente ficaram obsoletos.

Minha mãe ficou triste ao saber que a Digibrás foi vendida, pois ela chegou a trabalhar por algum tempo com o dono e fundador do grupo (não sei o nome do cara), e ela ainda comentou: "Os filhos do patrão deve ter ganhado uma nota preta"

Como podem ver, uma marca que esteve presente na minha infância, e depois desta noticia todas estas lembranças nostálgicas ter voltado na minha mente, não dava para deixar esta notícia passar em branco :D

2 comentários:

Dav disse...

Estava ouvindo no radio que a CCE tinha duas linhas de produtos uma importada (onde era somente montado aqui com o logo CCE) e outros de produçao propria (nacional na zona franca)

Como os importados vendiam mais apresentavam mais problemas e acabou queimando a marca um pouco,mas os que eram fabricados aqui sempre se davam bem.

Casper disse...

@Dav

Estes dispositivos desenvolvidos aqui eram aqueles com o maior valor e mais duráveis, e geralmente eram "baseados" em projetos já prontos, como as TVs e VHS por exemplo, e não eram tantos assim.

A grande parte dos produtos da CCE eram importados e montados aqui com a marca, já que durante a ditadura era proibido (ou dificultado ao extremo) a importação direta de produtos eletrônicos do exterior.

Postar um comentário

Politica de comentários:

O Casper Vox modera todos os comentários enviados, e reserva-se no direito de remover qualquer comentário que:

- Contiver spams;
- Que forem duplicados ou floods;
- Que não for relacionado com o assunto do post ou do blog;
- Com ofensas e palavras de baixo calão;
- Que apenas tiver pedidos ou links

Voce poderá postar seu comentário como Anônimo, mas recomendamos e incentivamos a vc usar usar sua conta do Google ou sua OpenID.

Seu email e seus dados serão mantido em sigilo. Leia nosso Termo de uso e a nossa Politica de privacidade para mais detalhes!

Nota: As opiniões deixadas pelos visitantes não refletem a opinião do Vox.