sexta-feira, 7 de outubro de 2011

A imparcialidade é uma ilusão ...


É o que sempre acontece com quem se acha imparcial ...

" A edição italiana da Wikipédia voltou a estar online, nesta sexta-feira, após ficar três dias fora do ar. Segundo o El País, os enciclopedistas do país europeu haviam fechado o site em sinal de protesto contra a "lei da mordaça". O projeto, que tramita no parlamento italiano, prevê que qualquer conteúdo considerado ofensivo seja "corrigido" em até 48 horas, sem necessidade de avaliação por nenhum tipo de juiz, bastando apenas que uma pessoa citada se sinta ofendida e solicite a alteração. (...) "


Fonte: Terra tecnologia (ler matéria na íntegra)

Em muitos países do mundo, inclusive aqui no Brasil discute-se no subsolo da política uma aprovação do que muitos chamam de "ley de medios" ("lei da mídia" traduzindo do espanhol). Esse tipo de lei coloca um limite claro ao que a imprensa pode ou não pode fazer.

Eu vejo que a imprensa num geral (não só no Brasil) comete erros graves, verdadeiros absurdos, apenas para vender mais, distorcendo completamente o principio de informar e trazer os fatos de forma organizada e isenta.


Infelizmente, a grande maioria dos jornalistas (e jornais) confundem imparcialidade com isenção.


Informar algo de forma isenta significa apresentar o fato real, e só. Já a imparcialidade é o que ocorre hoje nos meios de imprensa convencional, ou seja, além da noticia isenta, vem um pré julgamento (ou mesmo um preconceito).


Pela lógica hoje estabelecida, se eu, jornalista sou imparcial, eu posso muito bem criar um pré julgamento sobre a mesma. E que convenhamos, é uma sacanagem sem tamanho.


Isso é o que está cada dia mais vai limando a imprensa, é um processo lento, mas as pessoas com a mente mais aberta e mais estudada acaba lendo noticias de jornal com uma carga de desconfiança muito grande, pois as mesmas noticias "imparciais" querem apenas manipulá-lo, muitas vezes para uma coisa que você não gosta ou não concorda.


Em outro post eu já comentei que mais cedo ou mais tarde este modelo de jornalismo vai cair por terra, e acho que a própria evolução irá trazer sim, um jornalismo isento, porém parcial.


Não há nada de errado em ser parcial. A imparcialidade não existe, é uma ilusão. Só acreditaria que um texto é de fato imparcial se fosse escrito por alienígenas. Não dá para você escreve um texto sem sua consciência por trás. Cada um de nós temos nossas opiniões, nossos princípios, nossas convicções politicas e nossa maneira individual de ver e projetar o mundo. Todos nós temos uma visão para um mundo perfeito, e quando você faz um texto "imparcial" como é feito hoje, você acaba ofendendo completamente a inteligência de muita gente.


Sem dizer dos absurdos que muitos destes jornalistas cometem, desde informações completamente errada ou distorcidas chegando até mesmo a falta de caráter que alguns apresenta, perseguindo pessoas apenas por ser diferente deles. Sem dizer do jornalismo politico e o "quarto poder" que a imprensa exerce (o escândalo daquele jornal inglês é uma prova).


O direito a liberdade de expressão e de opinião deve ser mantidos, agora, eu sou favorável sim a uma lei que imponha um limite e uma punição de quem abusar. Eu vejo pela seguinte lógica: se um médico erra, seu um advogado erra, se um cientista erra, se um engenheiro erra ou mesmo se um profissional de TI erra e prejudica a vida de uma ou várias pessoas, este mesmo profissional é punido e pode até mesmo perder sua profissão e sua liberdade por causa do erro, e deixo a pegunta, por que o jornalista tem que ser imune? o que o jornalista tem de especial a outras profissões que não podem ser criticados, que não podem ser responsabilizados? seria a imprensa uma espécie de dogma?


Este tipo de lei deve ser bem discutido com a sociedade, mas este limite tem que ser colocado. Veja bem, para uma lei desta funcionar deve aplicar-se apenas na parte da revista ou jornal que informa, os cadernos de opiniões, blogs de colunistas e jornalistas e outras coisas ficariam de fora, afinal de contas, como já disse no começo do texto, opinião e o direito de emiti-las
todos nós temos e isso deve ser sagrado.

É uma longa discussão. Uma coisa eu digo, os países que tem uma "ley de medios" (como o EUA, a Inglaterra, o Japão, a Argentina e os países escandinavos) podem não ter uma imprensa perfeita (e nunca vão ter), mas tem um jornalismo de um nível muito maior e melhor que o no Brasil, na Rússia, na Itália e etc.
É uma opinião minha, mas eu acho que nós como sociedade temos sim que cobrar uma lei deste tipo. Tenho certeza, que com muita negociação, é possível chegar a algo plausível, mas que é algo que tem que ser feito, pode doer no inicio, mas tem que ser feito.

Só fica a pergunta no ar: Qual politico terá cojones para peitar a imprensa estabelecida? Ao meu ver nenhum, esta iniciativa tem que vir do próprio povo. :P


PS: A Wikipédia italiana sofre do mesmo mal que toda a Wikipédia: Falta de moderação com bom senso. :P


PS2: Este é um post opinativo, já que o noticiário de informática só fala da morte do Jobs. Semana que vem, espero eu, voltemos com nossa programação normal.

0 comentários:

Postar um comentário

Politica de comentários:

O Casper Vox modera todos os comentários enviados, e reserva-se no direito de remover qualquer comentário que:

- Contiver spams;
- Que forem duplicados ou floods;
- Que não for relacionado com o assunto do post ou do blog;
- Com ofensas e palavras de baixo calão;
- Que apenas tiver pedidos ou links

Voce poderá postar seu comentário como Anônimo, mas recomendamos e incentivamos a vc usar usar sua conta do Google ou sua OpenID.

Seu email e seus dados serão mantido em sigilo. Leia nosso Termo de uso e a nossa Politica de privacidade para mais detalhes!

Nota: As opiniões deixadas pelos visitantes não refletem a opinião do Vox.