segunda-feira, 15 de junho de 2009

Vida util da tecnologia ...


" Você acabou de comprar um novo produto eletrônico e, pouco tempo depois, se depara com uma versão atualizada dele, anunciada como melhor e com mais funções.

Em tempos de constante renovação no mercado de tecnologia, fica difícil não se render aos apelos da propaganda. Mesmo que sua câmera digital ou seu computador estejam funcionando perfeitamente, surge a vontade de substituí-los.

Mas vale a pena viver trocando de dispositivos? O blog Last Year's Model (www.lastyearsmodel.org) diz que não. Se você compra bons produtos eletrônicos, não terá necessidade de trocá-los quando surgirem outros. "

Fonte: Folha online (ler matéria na integra)

Você compra um carro novo, 0km, e apesar de quando terminar de paga-lo o mesmo não será mais topo de linha, a menos que vc seja um cara bem de vida ou um louco, dificilmente vai trocar seu carro por um outro modelo, quase ninguém compra carro a cada 1 ou 2 anos ... geralmente ficamos uns 10 anos com um carro, é a média, levando em conta que a nossa frota atual é antiga se comparado com outros países.

O mesmo faz com TV, Geladeira, fogão, maquina de lavar e outros eletrodomésticos, aqui em casa por exemplo, com exceção da geladeira (tivemos que trocar esse ano pq a antiga simplesmente "explodiu" :P), todos esses eletrodomésticos são de meados da década de 1990. Entre 1995-1997 a parte térrea da casa foi concluída, então tivemos a necessidade de trocar todos os eletrodomésticos que eram da década de 1970.

Praticamente em 2010 a casa estará 100% concluída, e conforme a coisa for aliviando aqui, alguns desse eletrodomésticos vão ter que ser substituidos ... já passaram da sua vida util, sua manutenção é constante e dependendo do caso, fica mais caro que um novo aparelho.

Aparelhos eletrodomésticos tem uma vida util de 10 a 15 anos, não mais do que isso, claro, vai depender de como vc mantem o aparelho, muitos desses ai que citei, sobreviveram a uma casa que em épocas chegou a ter 23 pessoas, com pelo menos 5 crianças ... foi uma batalha dura, mas em breve, mesmo com apreço sentimental, não tem jeito, vai ter que ir embora.

Com computadores, bom, a história é um pouco diferente. Final do ano de 1996 ganhei meu primeiro micro, apelidado de Schillo, Um Pentium 166Mhz com 16 MB de RAM e 2GB de HD, com kit multimidia, uma placa de som Opti 16Bits com duas caixas acusticas de 30 W da Blaze, uma placa de video Venus T80 expandida com 3D de 8MB de RAM com monitor Sansung SyncMaster 3Ne, fax modem de 33.6 Kbps junto com uma impressora jato de tinta Epson Stylus Color 600 com um scanner de mesa VideoCompo 30M de 300dpi e tudo isso sendo comandado pelo Windows 95 OSR2 com Plus e Office 97. Vc pode estar morrendo de rir, mas essa workstation era o orgulho da familia, e pelo seu preço da época, vc conseguia comprar tranquilamente um modelo legal do Sony Vaio :P

Onde está essa espetacular workstation hj? Sei lá.. Com exceção do scanner, que ainda está aqui comigo e o gabinete do computador, o resto se foi, se perdeu. Simplesmente pq não tenho espaço para guardar tudo isso. Quando o Schillo foi oficialmente desativado no fim de 2006 depois de quase 11 anos de uso, doei o monitor e a mesa onde o mesmo vivia para caridade, o teclado e o mouse foi dado para um parente, a impressora, completamente estragada foi vendida como sucata para uma assistência técnica. O Scanner estava ainda em operação até o mês passado, quando comprei uma multi funcional a laser da Sansung, ele o único que continua funcionando daquele maravilhosa maquina. Talvez esse eu consiga guardar.

No fim de 2006, o Schillo estava na hora da morte, ele conseguiu sobreviver a mim e a minha familia por quase 11 anos, em seus últimos dias, ele rodava o Windows 98, com a sua explendida placa de vídeo pifada, suas caixas de som já estavam sambadas, Executar o word e mais algum outro aplicativo era um sacrifício com seus 32 MB de RAM, internet então, alguns sites não podia ser aberto pq travava. O FireFox então conseguia abrir as paginas, mas depois de um 5 minutos. No fim de seus dias, o mesmo ficava encostado, eu e o pessoal aqui de casa mexia mais no outro computador que era meu e de meu primo, que tb não era aquilo, era um Celeron de 600Mhz e 128MB de RAM com o Windows 2000, mas vc pelo menos conseguia usar a maquina. Esse computador chamado de cobra nos serviu por 6 anos, e foi vendido.

O atual, que usa um chip Pentium D 2.86Ghz já teve que passar por um upgrade, mais memória, o hd continua pequeno, 80 GB, com apenas 3 anos de uso, já estou planejando a sua substituição. Será ano que vem.

Com computador não dá para vc mante-lo por muito tempo, as experiencias que tive com minhas antigas maquinas me fez concluir que a medida que o tempo passa, a maquina não fica só limitada como a probabilidade de ela ser mais util a alguem fica remota. Tanto o Schillo quanto o Cobra hj com certeza já foram pro lixo, e os que receberam esse equipamento tirou pouco proveito do mesmo.

Não sei se vai dar para vende-lo, se conseguir, ótimo, senão, para quem ele for, ainda será possivel tirar um bom proveito dele. A menos que vc tenha um espaço grande para guardar velharias, é impossivel conservar seus equipamentos que tiveram sua vida util expirada. E vc leitor, ainda tem seu primeiro computador, aquela joça ? Conte-nos como ele era, comente!

Esse tópico foi mais uma seção nostalgia. Nessa semana, espero eu, consiga retomar o ritmo.

0 comentários:

Postar um comentário

Politica de comentários:

O Casper Vox modera todos os comentários enviados, e reserva-se no direito de remover qualquer comentário que:

- Contiver spams;
- Que forem duplicados ou floods;
- Que não for relacionado com o assunto do post ou do blog;
- Com ofensas e palavras de baixo calão;
- Que apenas tiver pedidos ou links

Voce poderá postar seu comentário como Anônimo, mas recomendamos e incentivamos a vc usar usar sua conta do Google ou sua OpenID.

Seu email e seus dados serão mantido em sigilo. Leia nosso Termo de uso e a nossa Politica de privacidade para mais detalhes!

Nota: As opiniões deixadas pelos visitantes não refletem a opinião do Vox.